"E aqueles que foram vistos dançando foram julgados insanos por aqueles que não podiam escutar a música"
Friedrich Nietzsche

segunda-feira, junho 24, 2013

O Sonderkommando Blaich - Ataque em Fort Lamy no Chade, na África e no Mediterrâneo, Segunda Guera Mundial

O TUIUTI - nº 69 - Junho 2013
 
Esta é a história de uma missão especial  alemã na beira do deserto do Chade, para trás das linhas do Eixo, destruindo aeródromos e atacar e  tentar impedir as operações do  SAS  (Special Air Service)  britânico LRDG1,  na iminência de uma ofensiva de Rommel. Entre 1940 e 1941, as forças especiais britânicas causaram estragos por realizando tarefas vitais de reconhecimento, o que ajudou os comandantes britânicos a projetar e planejar  suas linhas defensivas  e de  ataques contra as linhas de abastecimento alemãs. A unidade  aérea especial, o Sonderkommando Blaich, foi formada sob o comando do capitão Theo Blaich2 deserto, com o Range Desert Group e com  o SAS. A Bf-108 em primeiro plano e I-111 atrás, para lidar, no Oasis de Hun em 1941 unidade consistia numa pequena esquadrilha de um He-111 e o Bf-108, utilizado por Blaich.
 
Tropas da França Livre ocupavam um posto avançado de Fort Lamy no Chade, a cerca de 2.500 quilômetros de  bases da Luftwaffe localizadas mais ao sul da África. A posição era de grande importância estratégica para os aliados, como o principal enclave , no interior, de abastecimento de portos e campos de petróleo da costa Oeste Africano. Era também uma fonte vital de depósito  das forças especiais dos aliados. Dado que a ofensiva  de Rommel sobre El Agheila  estava prevista para o mês de janeiro, ele decidiu bombardear Fort Lamy e tentar de interromper as operações do LRDG/SAS. Em 21 de janeiro de 1942, a pequena força decolou em direção ao desconhecido. A tripulação a bordo do He-111 era formada pelo tenente Bohnsack,  Sargento Geibler, Cabo Wichmann, e tenente Dettmann, um correspondente de guerra. Blaich pilotava seu próprio aparelho. A primeira parada para reabastecimento foi feito em uma pequena pista italiana no Oásis Hun.
Blaich foi recebido pelo Major italiano Conde  VimercatiSanseverino, que tinha voado até lá em um Savoia  em 20 de janeiro. O oficial italiano tinha trazido combustível para a viagem de retorno dos aviões alemães. Mas  ele  resolveu se juntar à tripulação de Blaich e participar da operação. A pequena força partiu novamente naquela tarde.
Logo, Blaich ordenou à tripulação para ir a postos de combate. Fort Lamy apareceu no horizonte
com a sua pista gigante e tanques de combustível do exército britânico. 16 bombas  de 50 Kg foram lançadas. O He-111 deu a volta para ver o resultado do lançamento, vendo-as explodir nos  armazéns e depósitos. Enormes colunas de fumaça subiam para o céu. Todo o combustível, cerca de 400 mil litros de querosene, foi “consumido”, assim como vários tipos de óleos e lubrificantes. Também foram destruídas dez aeronaves no chão. Um único avião  bombardeiro acabara de obter um grande sucesso. Fort Lamy estava fora de ação por algumas semanas.
 
Fonte: http://www.gehm.es – Grupo de Estudios de Historia Militar – Hugo Cañete.



1Long Range Desert Group - Tropa de Elite
2Blaich tinha sido um fazendeiro rico e aventureiro na África antes da guerra ..

Nenhum comentário: